Pular para o conteúdo Vá para o rodapé

15/3 – Conselho de Representantes da ADUFC aprova contas do biênio 2021-2023 e indica calendário para eleições do sindicato

O Conselho de Representantes da ADUFC indicou, em reunião presencial realizada na noite da última quarta-feira (15), o calendário e a comissão eleitorais para o pleito do Sindicato (biênio 2023-2025), com votação prevista para os dias 26 e 27 de abril. Também foram aprovadas pelo colegiado, por unanimidade, as contas da atual Diretoria da entidade (2021-2023), acatando o parecer favorável apresentado pelo Conselho Fiscal. Os conselheiros/as do interior ou que não puderam comparecer à ADUFC participaram virtualmente, através do Google Meet. Ambas as deliberações serão apreciadas por professoras e professores da base em duas assembleias gerais da categoria, que ocorrerão amanhã (17), a partir das 9h, na sede do Sindicato em Fortaleza. 

Conforme encaminhado pelo CR, a Comissão Eleitoral deverá publicar o edital para as eleições da Diretoria e do Conselho de Representantes até o dia 24/3. Comporão o colegiado os professores Geovani Tavares, da Universidade Federal do Cariri (UFCA); Jakeline Andrade, do Departamento de Fundamentos da Educação (FACED/UFC); Franck Pierre Ribarde, do Curso de História (Centro de Humanidades/UFC); e, na suplência, José Roberto Feitosa, do Departamento de Biologia (Centro de Ciências/UFC). O prazo para inscrição das chapas encerra-se no dia 3 de abril. A votação será presencial, através de urnas eletrônicas do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), a serem distribuídas em todas as sedes da ADUFC e nas unidades acadêmicas da capital e do interior. 

No encontro, o Prof. João Bosco Furtado, que está à frente do Conselho Fiscal neste biênio, apresentou um detalhado parecer das despesas e receitas da ADUFC nos últimos dois anos e, ao final, recomendou a aprovação das contas da entidade. O docente explicou que teve acesso a demonstrativos financeiros, balancetes contábeis e extratos bancários, além de se reunir com a equipe de contadores contratada para elaborar e demonstrar o controle e a sustentabilidade contábil do Sindicato. “A atual gestão da ADUFC tem tido gastos compatíveis com uma atuação do que se espera de um sindicato: produtividade nos setores de articulação política intersindical, incentivo cultural ao corpo acadêmico, formação política dos filiados, contribuição na geração de políticas governamentais de cunho democrático e humanístico, luta em defesa dos direitos trabalhistas dos filiados e respeito às divergências de opinião dos seus sindicalizados”, destacou o docente no relatório.

Bosco Furtado também apontou no parecer sugestões para que o Sindicato potencialize a saúde financeira nos meses sem superávit e amplie sua reserva financeira, que hoje é de R$ 574.786,30, sem considerar os recursos do Plano Collor. Entre as indicações, estão a intensificação das campanhas para atrair novos filiados, que já ocorrem regularmente, e a otimização no uso de pessoal formalizado e terceirizado. 

O presidente da ADUFC, Prof. Bruno Rocha, lembrou que o Sindicato conseguiu economizar um montante considerável durante a pandemia, valor investido posteriormente nas ações sindicais em defesa da categoria, como as sucessivas idas a Brasília que resultaram na derrota da PEC 32. O docente reforçou o compromisso da atual Diretoria com a transparência das ações e da gestão do patrimônio do Sindicato, disponibilizando os balancetes financeiros nos informativos trimestrais enviados aos filiados, bem como no site da entidade. Além disso, lembrou, os principais gastos com ações sindicais e campanhas foram aprovados pelas instâncias coletivas da ADUFC (CR e AG). O saldo acumulado como fundo de emergência só foi possível a partir de um trabalho de gestão financeira realizado nos últimos quatro anos para reaver o caixa da entidade.  

Professores/as relataram a importância de uma gestão sindical que aplica os recursos financeiros em defesa da própria categoria, como ocorreu na campanha Educação em Defesa da Democracia e na mobilização nacional da qual a ADUFC participou ativamente em 2021 para derrotar a reforma administrativa. Se aprovada, a PEC atacaria diretamente os bolsos dos servidores públicos, que já acumulam sete anos sem reajuste salarial. “Viajei a Brasília em um desses momentos (de luta contra a PEC 32). Hoje vejo como isso foi importante pra mim e acho fundamental que essas ações continuem como formação política. Isso me fez ficar ainda mais ligada à ADUFC”, disse a Profª. Rosa Primo, do Departamento de Dança (ICA/UFC).

Outro tópico abordado pelo Conselho Fiscal no parecer foi a necessidade de fortalecimento dos grupos de trabalho (GTs) da ADUFC, a partir de uma maior participação dos sindicalizados nestes espaços. O presidente da ADUFC corroborou com a consideração. “É um apelo para que possamos contar mais com os colegas, porque a Diretoria não consegue dar conta sozinha. A gente precisa muito da nossa base”, destacou Bruno Rocha. Durante a reunião, docentes também deram informes sobre as lutas docentes atuais, entre elas a oferta do governo de 9% de reajuste para os servidores públicos federais e R$ 200 no Auxílio Alimentação, propostas estas que serão votadas pela ADUFC amanhã (17) em assembleia.

Deixe um comentário

Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará

Av. da Universidade, 2346 – Benfica – Fortaleza/CE
E-mail: secretaria@adufc.org.br | Telefone: (85) 3066-1818

© 2023. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Web-az

© 2023 Kicker. All Rights Reserved.

Sign Up to Our Newsletter

Be the first to know the latest updates

[yikes-mailchimp form="1"]