Pular para o conteúdo Vá para o rodapé

ENSINO REMOTO – Pesquisa revela dificuldade dos pais para apoiar alunos nas atividades e falta de acesso à internet

O Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) divulgou, na última terça-feira (31/8), dados inéditos da TIC Educação 2020 (edição Covid-19 – Metodologia Adaptada), em live com a análise de especialistas do centro. O estudo revela as dificuldades de pais ou responsáveis para orientar e apoiar os alunos nas atividades escolares durante a pandemia Covid-19, conforme apontam 93% dos gestores escolares do Brasil. Os dados ainda indicam as desigualdades regionais no acesso à educação e concluem que a falta de dispositivos, como computadores e celulares, e o acesso à internet nos domicílios dos alunos estão entre as dificuldades mais citadas (86%).

A pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), conduzida pelo Cetic.br, investigou o acesso, uso e a apropriação das tecnologias de informação e comunicação (TIC) nas escolas públicas e particulares brasileiras de ensino fundamental e médio, enfocando o uso destes recursos por alunos e professores para atividades de ensino e de aprendizagem. O Cetic.br integra o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

O Nordeste é a segunda região com menos acesso à internet nas escolas, com percentual de 23%, ficando atrás apenas do Norte, com 48%. Também não possuem computador 37% das escolas do Norte e 18% do Nordeste. Em 65% do total de instituições escolares, o atendimento a alunos em condição de vulnerabilidade social foi citado como um dos desafios enfrentados durante este período.

A pesquisa trouxe, ainda, um panorama de como as escolas se adaptaram ao ensino remoto. Para impedir que as atividades pedagógicas fossem paralisadas durante a pandemia, 93% das instituições de ensino afirmaram implementar estratégias de agendamento para que os pais e responsáveis pudessem retirar atividades e materiais pedagógicos impressos na escola, enquanto 91% disseram ter criado grupos em aplicativos ou redes sociais, como WhatsApp ou Facebook, para se comunicar com os alunos e pais ou responsáveis.

O percentual de escolas urbanas que possuem perfil ou página em redes sociais foi de 82%. Já entre as escolas localizadas em áreas rurais, cai para 29%, medido pela primeira vez pela TIC Educação. Outro recurso digital bastante utilizado pelas escolas para atividades pedagógicas durante esse período foram as aulas em vídeo gravadas e disponibilizadas aos alunos, conforme 79% das escolas. O uso deste recurso apresentou menores proporções em escolas das regiões Norte (49%) e Nordeste (77%).

A pesquisa TIC Educação é realizada desde 2010 pelo Cetic.br com o objetivo de investigar o acesso, o uso e a apropriação das tecnologias de informação e comunicação (TIC) nas escolas públicas e particulares brasileiras de ensino fundamental e médio. Na edição mais recente, o estudo envolveu entrevistas telefônicas a 3.678 gestores de escolas públicas (municipais, estaduais e federais) e particulares. Ao todo, foram entrevistadas 2.009 escolas localizadas em áreas urbanas e 1.669 escolas das áreas rurais.

(*) Com informações do Cetic.br

(**) A pesquisa completa e os indicadores estão disponível para acesso no site do Cetic.br ​​

(***) A live de lançamento pode ser assistida no YouTube do NIC.br


Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará

Av. da Universidade, 2346 – Benfica – Fortaleza/CE
E-mail: secretaria@adufc.org.br | Telefone: (85) 3066-1818

© 2024. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Web-az

© 2024 Kicker. All Rights Reserved.

Sign Up to Our Newsletter

Be the first to know the latest updates

[yikes-mailchimp form="1"]